24 janeiro 2012

.

Já esperei mais do que deveria das pessoas, já exigi mais do que elas podiam me dar. Já tomei decisões que nem eu mesma esperava de mim. Já errei pensando estar fazendo a coisa certa. Já implorei por respostas, atenção, perdão. Já me arrependi e me orgulhei de atitudes que cometi com frações de segundos de intervalo. Entretanto, nunca ousei pedir a ninguém que me entendesse.

Sou uma menina. Sou uma mulher em fase de construção. Ora sou guiada pela minha emoção, ora pela mente que comanda um coração cansado de sofrer. Nem eu mesma sei o que esperar de mim. Mesmo tendo convicções intactas, é difícil seguir sempre as regras, é complicado fazer sempre o que esperam que eu faça. Às vezes acerto, e noutras erro. E erro feio.

Quebro a cabeça tentando encontrar uma maneira que faça você perceber que aqui dentro de mim só há espaço para você e tudo que vivemos enquanto planejamos nosso futuro. Tento buscar a forma exata de te mostrar o quanto preciso da sua companhia, das nossas risadas e carinhos, dúvidas e certezas. Queria que você enxergasse além dos meus olhos. Queria abrir meu peito e mostrar minha alma a você. Mas sei que apenas com o tempo, com meus atos ou simplesmente com meu amor você vai compreender. (...)

Posso não demonstrar a cada instante o quanto você é indispensável para mim. Posso estar manhosa, cansada ou irritada. Posso estar com sono, com fome ou com sede. Posso não estar 100% sempre. Porém, peço somente que você sinta as vibrações de quem passa o dia contando as horas para estar junto a ti, quero que perceba que não penso em outra coisa a não ser te beijar desde que acordo até a hora de dormir.

Jamais tente me decifrar. Entenda apenas que eu te amo. E o resto o meu amor vai te provar.