12 fevereiro 2015

O último adeus

O último beijo, o último abraço, o último adeus, aqui entalado. 
Sufocando no peito e nos meus braços. Teu cheiro nos meus poros, impregnado. 
A última música e a última dança. O último toque e a última transa. 
É melancólico viver com essa constante dúvida de "quando será a última vez?"
Pessoas partem todos os dias, das nossas vidas por algum motivo, ou pela tão temida morte. Todos os dias perdemos algo ou alguém. Até os dias podem ser considerados uma perda, dependendo do ponto de vista. 
Para os pessimistas é menos um dia de vida. Para os otimistas é mais um e para os realistas, é só a certeza de que sendo mais um ou menos um, eles vivem e dão o devido valor para o presente. Sem se apegar à esses detalhes. 
Queria poder voltar no tempo só para eternizar certos momentos. Contemplar com mais cuidado belezas e paisagens. Olhar com uma atenção redobrada para as coisas, já que eu não sabia que seria a última vez. Mas se você soubesse que seria a última vez, o que teria feito de diferente? 
Poderia congelar o tempo e gravar cada detalhe. Abraçar mais forte e por mais tempo, beijar com mais emoção, transar com mais paixão e ser inteira. 
"Adeus'', ô palavrinha que dói e corrói. Uma coisa que é sua, indo embora e na maioria das vezes não se tem o que fazer para impedir e nem percebe que está indo. Quando de repente vem o choque acompanhado dessa palavra e ai já é tarde demais. O fato é que não dá para mudar certas coisas, um dia todo mundo vai embora, tudo acaba, tudo evapora. Sobram as lacunas que não conseguem ser preenchidas e ecoam gritante na alma pela falta que se tem na vida, de algo ou de alguém.
O último adeus é aquilo que é seu, deixando de ser.

Bárbara Martins.